sábado, 31 de março de 2012

Ora bem, mas vamos lá actualizar isto decentemente

Continuando a minha historinha, devo dizer-vos que após terminar o curso (em 2010), fiz um "gap year". Ou seja, parei um ano de estudar, mas também não trabalhei. Fiz os Censos, dois níveis do curso de Espanhol, uns workshops, nada demais. Dediquei-me quase única e exclusivamente à dieta, e resultou. Os meus dias eram praticamente todos iguais (que seca!): acordava, tomava o pequeno-almoço, fazia ginástica, almoçava, estava na net, lanchava, via televisão, jantava, net outra vez e assim se passavam os meus dias.
Entretanto, inscrevi-me no Mestrado, em Braga (eu sou do Porto). Mas como era apenas 3 dias por semana, e em horário pós-laboral, achei que devia encontrar um part-time. E encontrei, mas em Braga. Conclusão: fui viver para Braga. Por isso, em menos de um mês, a minha vida mudou de "não faço nada o dia inteiro", para "trabalhar, estudar e tomar conta da casa". Como isso ainda era pouco, achei que devia arranjar um estágio. Decidi fazer projecto de estágio no segundo ano, estágio esse que só deveria começar em Setembro. Mas como na instituição que deveria começar o estágio estão com muita falta de gente, decidi começar já, a título voluntário (não me pagam nadinha). O meu dia é, agora, assim:
- 8h-13h: trabalho- 14h - 17h: estágio- 18h-22h : aulas.
Claro que não é todos os dias; trabalho de terça e sexta e as aulas são às terças, quintas e sextas. E o estágio não é sempre assim, até trabalho bastante a partir de casa. Mas que é cansativo, é. Tempo para dietas e exercício físico? Pois...

1 comentário:

  1. Obrigada pelo teu comentário. Tens toda a razão: Vou fazer o melhor que posso!! Quero é estar de consciência tranquila.
    Com esses horários realmente sobra pouco tempo para o exercício, esse é também o meu maior problema. Inventa-se um bocado e pronto. Beijo

    ResponderEliminar