quinta-feira, 20 de junho de 2013

A conversa do costume

Há mais de dois meses que não escrevo nada por aqui. 

Na verdade, a minha vida está de pernas para o ar. O peso só aumenta e o propósito deste blogue está a passar completamente ao lado.

O novo emprego... Não é fácil. Eu sabia que não ia ser fácil, e não querendo parecer que passo a vida a queixar-me, isto exige muito de mim e o ambiente não é dos melhores.

Coisas positivas: gosto, gosto muito do que estou a fazer, apesar do parágrafo anterior. Tenho falado com pessoas do mundo todo, praticado imenso as línguas (há anos que não falava francês e agora consigo safar-me bem!) e até já sonho em inglês, francês, espanhol ou italiano. Passo o dia inteiro a falar quatro línguas que não são a minha e isso é esgotante. Saio de casa às 8h da manhã e volto às 20h. Trabalho todos os fins-de-semana e feriados e quando estou de folga (como hoje), não posso dormir até mais tarde porque estamos com obras cá em casa e os senhores às 8h já estão a fazer barulho.

Ando exausta, e gorda. Desmotivada, cansada e a precisar de férias. Férias essas que só virão no final de Dezembro (sim, leram bem, Dezembro). Entretanto, vou tentando aproveitar ao máximo esta oportunidade que me deram, o melhor que posso. 

E quanto ao peso... bem, para a semana começo no ginásio (matriculei-me num ginásio no centro do Porto, perto do trabalho, talvez seja mais fácil), e comprei umas sessões de lipocavitações, radiofrequências e pressoterapias, seja lá isso o que for. Já fui à primeira consulta fiquei a saber que tenho uma coxa 15 cm mais larga do que a outra (true story). Tenho um aglomerado de gordura debaixo do glúteo, por isso estão a imaginar o aspecto das minhas pernas...

Eu não me sinto com forças para recomeçar. Só sei que estou 10 kg mais gorda do que estava há um ano atrás e sinto-me mal. Sinto-me mal com o meu corpo, comigo, com as pessoas. Acreditam que ainda não fui visitar os meus amigos de Braga com vergonha de me verem assim tão gorda? Enfim...

Preciso de acordar para a vida, caso contrário daqui a pouco peso 100 kg e nem dou conta.

Já ninguém me consegue aturar com as minhas promessas do "agora é que vai ser". Ninguém acredita, nem eu. Espero não estar a gastar dinheiro no ginásio e nos tratamentos para nada. Preciso mesmo de me sentir bem. Mas isto de ter um trabalho que me obriga a estar sentada o dia inteiro também não ajuda...

Enfim, nem sei bem porque estou aqui a escrever, provavelmente já não há ninguém por aí.

Até breve,